Promoção de primavera: Usufrua de 3 meses gratuitos de alojamento e até 90% de desconto em domínios.**

Comprar agora
.com
$ 3.99 $ 26.99 /1º ano
.one
$ 1.99 $ 16.99 /1º ano

Entrar

Painel De Controlo Webmail Editor web Loja virtual File Manager WordPress

O que é um Sitemap?

Partilhamos tudo o que precisa de saber sobre sitemaps

A função do sitemap é ajudar o Google a compreender e a encontrar o seu conteúdo no seu site. Os sitemaps são literalmente o que as palavras implicam, um mapa do seu site.

Um sitemap é uma lista de páginas, imagens, ou ficheiros que se encontram no seu site. Por exemplo, o seu site deve ter um sitemap para todas as suas páginas, um sitemap para todas as suas imagens, e um sitemap para todas as suas mensagens. Como mencionado acima, estas listas são criadas e existem para tornar mais fácil encontrar todos os diferentes conteúdos do seu site num único local. 

Existem dois tipos de sitemaps: sitemaps XML e sitemaps HTML. XML significa Extensible Markup Language, e HTML significa Hypertext Markup Language. Os sitemaps XML são usados para o motor de busca do Google e ajudam os Googlebots (crawlers, spiders, ou como queira chamá-los) a encontrar todos os diferentes conteúdos no seu site. Assim, os sitemaps XML não são para os olhos de todos; estão escondidos para toda a gente, exceto para os bots do Google. 

Os sitemaps HTML são diferentes. Um sitemap HTML é uma página que vive no seu site e enumera todo o conteúdo do seu site sob uma forma hierárquica. Hoje em dia, as pessoas não utilizam sitemaps HTML como antigamente, uma vez que os sites de hoje em dia são muito modernos e fáceis de navegar. Quando era necessário sitemaps HTML, os sites não tinham menus e barras de navegação como hoje em dia, ir aos sitemaps HTML era a forma mais rápida de encontrar uma página num site. 

O que é um sitemap XML?

Como mencionado anteriormente, um sitemap XML é uma lista de páginas, imagens, publicações, etc., no seu site em linguagem XML. Um sitemap XML é como um manual de instruções que diz aos robots do Google para rastejarem e indexarem todas as páginas que quiserem e não indexarem as páginas que não quiserem. A lista contém URLs do seu site e algumas informações adicionais. 

Um exemplo de um sitemap XML seria algo parecido a isto:

https://onomedoseusite/sitemap.xml/

Se clicar neste link no seu sitemap XML, ele irá levá-lo a uma lista de todas as páginas/ URLs do seu site. 

A informação adicional que está incluída ao lado dos URLs é quantas imagens estão incluídas em cada página e quando a página foi editada pela última vez. A informação sobre quando a sua página foi atualizada pela última vez é crucial para um Googlebot. Isto porque quando um Googlebot rastreia a sua página web e repara que uma página foi atualizada desde a última vez que aqui esteve, saberá que precisa de rastrear e indexar essa página mais uma vez. 

O seu sitemap XML pode também ter uma etiqueta de frequência incluída na informação adicional. Uma etiqueta de frequência está lá para indicar quantas vezes essa página em particular é modificada. As etiquetas de frequência são boas para o Googlebots, para saber com que frequência devem revisitar essa página e indexá-la. 

Poderá também ter uma etiqueta de prioridade que significa, principalmente para os Googlebots, o quão significativa é essa página em particular.

Deve ter um sitemap do seu site?

Os sitemaps são normalmente destinados a sites maiores ou a comércio eletrónico. É uma boa maneira do Google encontrar todos os produtos e categorias que tem no seu site. Os sites mais pequenos não necessitam tipicamente de um sitemap, uma vez que o Google pode encontrar todas as páginas com razoável facilidade. No entanto, se quiser impulsionar as suas atividades de SEO, deve criar um sitemap. 

Outra razão pela qual deve ter um sitemap no seu site é que sempre que editar ou modificar as suas páginas, o Google é alertado mais rapidamente e indexará as suas páginas modificadas mais rapidamente, o que pode resultar numa classificação mais elevada mais rapidamente. 

Como criar um sitemap?

Muitos dos sistemas de gestão de conteúdo têm sitemaps integrados. Por exemplo, se utilizar o WordPress, tudo o que precisa de fazer é descarregar e instalar um plugin como o Yoast plugin para criar o sitemap. 

Se for uma pessoa com conhecimentos técnicos e tiver criado o seu site por conta própria, também terá de criar o mapa do site por si próprio. Screaming Frog é um ótimo gerador de sitemaps. Pode usar a ferramenta Screaming Frog para fazer crawling do seu site e construir um mapa do site em XML. Pode rastejar até 500 URLs e gerar um sitemap gratuitamente usando esta ferramenta.

Submeter o seu sitemap

Assim que tiver o seu mapa do site pronto para ir, vá à Consola de Pesquisa do Google. Na categoria do índice, clique em sitemaps e adicione o seu novo sitemap. Assim que tiver submetido o seu mapa do site, verá que ele indicará 0 em URLs Descobertos. Isto porque levará algum tempo até que os Googlebots façam crawling, indexem e descubram os URLs. 

Outra coisa importante a fazer é dizer ao Google onde está o seu sitemap. Pode fazer isso definindo o seu mapa do site no seu ficheiro robots.txt. Depois, quando o Google rastrear o seu ficheiro robots.txt, saberá onde se encontra o seu mapa do site. 

Assim que tiver o seu sitemap na Consola de Pesquisa do Google e no seu ficheiro robots.txt, o seu trabalho está completo!